Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

DOIS AGRESSORES DE MILITAR

A Polícia Judiciária de Lisboa continua a tentar prender o autor efectivo do espancamento do cabo C.A., um militar colocado no posto da GNR de Sintra, que, na madrugada de domingo, foi atacado durante uma operação Stop. O suspeito fugiu com a arma de serviço do guarda, que ainda não foi recuperada. Dos restantes quatro elementos do gang, só dois foram constituídos arguidos. No entanto, por ausência de flagrante delito da agressão, a GNR prendeu dois cabo-verdianos por permanência ilegal em Portugal. A apreensão de um documento de identificação no local das agressões permitiu, através do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, apurar o delito. Outros dois homens, da mesma nacionalidade, foram libertados por falta de provas.

CINCO AGRESSÕES

Em dois dias, cinco elementos das forças policiais foram agredidos. Desses cinco, três pertencem à PSP de Valadares, um à GNR da Murtosa e outro à GNR de Sintra.