Pesquisar neste blogue

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Direcção-Geral dos Impostos tem 11 mil funcionários

Direcção-Geral dos Impostos tem 11 mil funcionários. Mais do que TAP ou PT


A máquina de recolha de impostos do Estado ultrapassou os 11 mil funcionários, de acordo com os últimos dados disponíveis a que o "i" teve acesso.


A Direcção Geral dos Impostos torna-se desta forma o sexto maior empregador nacional e o organismo público com mais funcionários - só ultrapassado pela Guarda Nacional Republicana (GNR) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP).

Para o professor, os dados agora revelados surpreendem ainda pela relevância relativa do sector bancário na criação de empregos. Com 11 153 trabalhadores em 2008, a Direcção-Geral dos Impostos (DGI) - que está sob tutela do ministério das Finanças - ultrapassa todo o sector bancário em número de funcionários, colocando-se à frente do Millennium bcp (com 10 120 trabalhadores), da Caixa Geral de Depósitos (o banco do Estado tem 9791 trabalhadores) e do BPI (que atinge os 7319 funcionários). O Banco Espírito Santo ainda entra no top 20 dos maiores empregadores nacionais, com 6837 trabalhadores.

http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=445425

Regulamento Interno da Inspecção da P.S.P.

Despacho n.º 14882/2010


Ministério da Administração Interna - Gabinete do Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna

Aprovação do Regulamento Interno da Inspecção da Polícia de Segurança Pública
 
http://dre.pt/pdf2sdip/2010/09/189000000/4847848480.pdf

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Críticas à PSP e GNR abrem guerra na PJ

Depois de o CM ter publicado em Julho do ano passado um documento intitulado ‘A Falácia’, da autoria de responsáveis da Judiciária como os históricos José Braz e Teófilo Santiago, directores da PJ de Lisboa e de Aveiro, respectivamente, em que assumem duras críticas à PSP e à GNR, que acusam por exemplo de "aguardar que o crime aconteça" (ver excertos ao lado), a punição aos dois, por parte do director nacional Almeida Rodrigues, foi sexta-feira publicada em ordem de serviço: repreensão por escrito no âmbito de processo disciplinar.


Uma mancha em carreiras com mais de 20 anos, que, no caso de Teófilo Santiago, já foi agraciado com crachá de ouro.




O responsável pela PJ de Aveiro, que coordena toda a investigação ao processo Face Oculta, limita-se a dizer que "o episódio é lamentável mas revelador". E adianta que a repreensão, sem o surpreender, vai ser impugnada judicialmente – por ter sido "violado o direito à liberdade de expressão". Teófilo Santiago não se alonga mais mas, ao que o CM apurou, a punição está a causar mal-estar na PJ, com outros responsáveis a mostrarem solidariedade com os colegas.

A defesa pública é assumida pela Associação Sindical da PJ (ASFIC), em comunicado: "A maioria dos funcionários da PJ subscreveriam por completo o referido artigo de opinião", "posição de legítima defesa da PJ, relativamente a ataques externos sistemáticos e insidiosos de que foi e continua a ser alvo" – e o processo disciplinar foi "acção persecutória por delito de opinião".

A ASFIC fala numa "indesejável mensagem de fragilidade e de submissão da Direcção Nacional da PJ face a um poderoso lobby ‘securitário’ que se apoderou do MAI [que tutela a PSP e a GNR]". "É uma cedência inaceitável", "a direcção da PJ sai muito mal deste episódio".

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Acidente em Tulsa, Oklahoma

A polícia ia pela estrada por volta da 01h00 da manhã perto de Tulsa, Oklahoma.


Deram com isto na estrada.

O motorista do camião disse que sentiu um impacto, mas só ao fim de quase 4 milhas


pensou que seria melhor encostar e verificar o carro.

Testemunhas e Polícia do Estado dizem que o motociclista viajava a 190 km, quando


bateu na traseira do camião em movimento.

Vale a pena ter um capacete de boa qualidade, quando se está numa mota.