Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Trofa: Ourives arrisca pena

27 Dezembro 2009 - 00h30


Empresário que abateu a tiro ladrão armado após o assalto à sua ourivesaria na Trofa responde por homicídio privilegiado

Ourives acusado de matar

Fernando Vilaça, de 57 anos, foi acusado de homicídio privilegiado por ter abatido um dos assaltantes à sua ourivesaria em S. Romão do Coronado, Trofa. O Ministério Público considerou que o empresário não agiu em legítima defesa mas num quadro emocional violento, um tipo de crime punível com prisão entre um a cinco anos, que segundo o Código Penal admite pena suspensa.

Em Julho, o ex-militar da GNR enfrentou os assaltantes armados em fuga com mais de 200 mil euros em peças de ouro. Vilaça pegou numa caçadeira e perseguiu-os. Numa troca de tiros na rua, o ourives atingiu o jovem de 18 anos, que morreu no local.

Homicida Ilegal

28 Dezembro 2009 - 00h30


Matou a mulher a tiro em São Marcos, Cacém

“Homicida estava ilegal”

O irmão de Teresa Mendes, a mulher de 34 anos que foi morta a tiro pelo ex-marido à porta de casa em São Marcos, no Cacém, acusa o sistema judicial de nada ter feito para evitar a tragédia que deixou duas crianças, de 14 e 12 anos, órfãs de mãe.

"A minha irmã já tinha apresentado dezenas de queixas contra o assassino [Euclides ...]. Os polícias até já a cumprimentavam na rua de tantas vezes que ia à esquadra. Mas nunca ninguém fez nada. Nem repararam que ele estava ilegal em Portugal e andava armado", lamenta Isidro Gomes

GNR Trofa: Idivíduo violento

28 Dezembro 2009 - 00h30


Trofa: Provoca desacatos no posto da GNR

Detido violento ataca militares

Uma ocorrência aparentemente simples acabou em pancadaria no posto da GNR da Trofa, na madrugada de ontem. A patrulha levou um suspeito da autoria de estragos na estação da Petro Gomes e, na Trofa, o homem atacou os próprios guardas, tendo ainda tentado escapar para zonas reservadas e perigosas.

Segundo as autoridades, o homem, de 29 anos, estava alterado devido ao consumo de drogas e quando entrou no posto surpreendeu os guardas com uma violenta fúria. Ainda agrediu a soco e pontapé alguns dos militares que o tentavam acalmar.

PSP agredido no Aleixo

28 Dezembro 2009 - 00h50


Detenção em bairro do Porto

Agente da PSP foi agredido no Aleixo

Um agente da PSP do Porto foi violentamente agredido ontem à a tarde, durante uma acção policial no Bairro do Aleixo, na qual foi detido um traficante de droga. O polícia sofreu várias escoriações e teve mesmo de receber tratamento no Hospital de Santo António, no Porto. Segundo fonte do Comando Metropolitano da PSP, uma patrulha das brigadas de combate ao tráfico de droga abordou um grupo de homens parados junto à Torre 1 do Aleixo, suspeitos de venderem estupefacientes.

Perante a aproximação da polícia, a maioria dos suspeitos fugiu da zona, mas alguns reagiram violentamente. Foi durante aquele momento de confronto que um dos alegados traficantes agrediu a soco o agente, provocando-lhe lesões no rosto e no peito.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

G.N.R. Militares discriminados

07 Dezembro 2009


Guardas de Chaves dizem que em situações iguais são tratados de forma diferente
 
Alguns militares da GNR de Chaves enviaram uma participação para o Comando de Vila Real em que dizem sentir-se discriminados no posto de trabalho, levantando suspeitas de várias irregularidades que estão a ser cometidas.


Segundo o documento, em causa está o facto de em situações iguais os militares serem tratados de forma diferente. Tal acontece, por exemplo, na escala de ronda, ou seja no militar que é destacado para conduzir o carro do comandante. Em 90% das vezes foi sempre escalado o mesmo militar. Os GNR dizem ainda que são discriminados na atribuição dos carros, pois na maior parte das vezes ficam sempre com as viaturas mais antigas e em pior estado de conservação.


A participação destaca ainda a situação de um GNR que apesar de não fazer patrulhas recebe o subsídio correspondente a esse serviço, no final do mês

sábado, 5 de dezembro de 2009

Atropelamento Mortal

05 Dezembro 2009

Funeral de Maria...realizou-se ontem.
Família e amigos da mulher atropelada contra libertação


A capela acabou por ser pequena para acolher os mais de duzentos amigos e familiares que acompanharam a cerimónia. Cá fora, a indignação era geral devido à libertação de Luís..., o jovem que atropelou Maria..., a arrastou por dois quilómetros e fugiu. Foi apanhado no dia seguinte pela GNR a pintar o carro para apagar vestígios do crime, mas ficou em liberdade e nem está inibido de conduzir. "Como é que o juiz pode deixar um assassino em liberdade? Não há justiça neste país", lamentavam os familiares.

GNR alvejado no braço

Um elemento da GNR de Barcelos foi hoje, quinta-feira, alvejado no braço, por um indivíduo de 72 anos que estava, desde quarta-feira, barricado em casa, em Vila Frescaínha, S. Pedro.


O disparo aconteceu naquela localidade de Barcelos ao início da manhã de hoje, quando, depois de horas de negociações a tentar demover o indivíduo que se encontrava barricado, a GNR decidiu entrar dentro de casa.

"Um dos guardas foi alvejado, com um tiro num braço, tendo sofrido ferimentos ligeiros. O autor do disparo foi detido", afirmou à Lusa Vaz Lopes, do departamento de Relações Públicas da GNR de Braga.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Paredes: GNR agredida

Homem de 24 anos detido depois de denúncia de violência doméstica


Um homem de 24 anos foi detido pela Guarda Nacional Republicana, depois de uma denúncia de crime de violência doméstica, em Lordelo, Paredes, por agredir dois militares.


"No local, um indivíduo de 24 anos, desempregado, extremamente exaltado, quando confrontado com os agentes, disse: 'Tirai a farda que eu mato-vos'", disse à Lusa fonte da GNR.

O homem agrediu dois militares, que precisaram de receber tratamento hospitalar.
http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1435557